Justiça nega segundo pedido de habeas corpus de radialista suspeito de estupro

Ele foi indiciado por estupro e corrupção ativa de testemunhas e está preso desde o dia 13 de setembro.

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) negou na manhã desta terça-feira (9) o segundo pedido de Habeas Corpus para o radialista George Magalhães. Segundo a delegada Renata Aboim, ele foi indiciado por estrupo e corrupção ativa de testemunhas.

George está preso na Cadeia Tabelião Filadelfo Luiz da Costa, em Estância, desde o dia 14 de setembro. Antes, ele tinha sido encaminhado ao Complexo Penitenciário Advogado Jacinto Filho (Compajaf). No dia 15 de setembro a Justiça negou o habeas corpuspara o radialista.

Em entrevista para a jornalista Priscilla Bittencourt a suposta vítima disse que procurou a polícia em busca de justiça. “Eu denunciei que fui abusada. Eu procurei a Polícia para falar o que tinha acontecido comigo.Eu estou me achando destruída. Eu não consigo mais tirar foto, eu não consigo mais me olhar no espelho”, disse.

No dia 3 de setembro, a polícia informou em entrevista coletiva que tinha sido aberto um inquérito para investigar o radialista pelos crimes de estupro e agressão a pedido da vítima, uma mulher, de 42 anos, casada.

No dia 13 de setembro George Magalhães foi preso na residência dele, localizada no Bairro Atalaia, na Zona Sul de Aracaju. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP/SE), ele foi preso por coagir testemunhas.

O Boletim de Ocorrência foi registrado no dia 21 de agosto na Delegacia Plantonista da Zona Sul, mas o DAGV só tomou conhecimento no dia 24, quando o documento foi localizado no sistema.

FONTE: G1 Sergipe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *